10 outubro, 2008

Rapidinhas...

Boduf Songs - How Shadows Chase the Balance [Kranky 2008]
Não conhecia o trabalho de Mathew Sweet e estou impressionado com as canções, com os seus “suspiros” melancólicos… Obscuro o suficiente para o considerar o álbum mais depressivo do ano, creio que ainda vai fazer mais sentido quando as folhas começarem a cair.
Caïna - Temporary Antennae [Profound Lore 2008]
Intenso, fluído e sonhador, este é o álbum que vai pôr o inglês Andrew Curtis no mapa. Temporary Antennae abraça diferentes estilos sem nunca perder a homogeneidade. Eu diria que, em certos momentos, é um disco para colocar lado a lado fãs de Sigur Rós e Burzum. Sim, é estranho, mas espreitem porque está mesmo muito muito bom.
Conifer - Crown Fire [Important 2008]
Capa bonita, não é? Os Conifer são um quarteto americano que partilha elementos, sala de ensaio, tours e tudo mais com os Ocean, portanto quem os conhece vai certamente reconhecer alguns traços musicais. Por aqui ouve-se pós-rock, metal e até algum kraut. O álbum é todo instrumental até que ao último tema o estrondoso Eugene Robinson (Oxbow) empresta os seus dotes vocais fazendo-o dele, talvez, o ponto alto do disco. Por estes lados ainda cresce, mas já ouvi o suficiente para aconselhar à malta do roque.
Electric Wizard/ Reverend Bizarre - Split [Rise Above Records 2008]
Reverend Bizarre nunca me disseram nada e não vai ser desta, mas o tema dos Wizard é tal e qual aquilo que nos habituaram. Ponham-na a tocar bem alto!!
Jesu - Why Are We Not Perfect EP [Hydra Head 2008]
Aprecio remixes quando é alguém que estimo a moldar determinado tema na sua perspectiva. Agora versões alternativas e não sei quê dispenso bem. Vou comprar este EP porque o split com Eluvium esgotou (sim, os temas são os mesmos), caso contrário não perdia tempo. Se bem que o artwork até convence…
Moho - Chotacabra [Alone 2008]
Ao fim de algumas audições senti uma certa sensação agridoce. Culpa minha. Esperava um álbum ao nível do anterior e os Moho, que continuam a ser a par dos Orthodox a melhor banda espanhola (curiosidade: ambas são um trio), decidiram-se por uma aproximação mais “High on Firesca”, mais animalesca portanto. E é o que Chotacabra é, é um animal cheio de stoner e sludge nas veias pronto a deixar marcas por onde passe.
Original Silence - The Second Original Silence [Smalltown Superjazz 2008]
Foi-se o efeito surpresa, mas o entusiasmo mantinha-se. Quem me conhece sabe que esperava com muita ansiedade o segundo do sexteto mais fixe de sempre: Mats Gustafsson, Thurston Moore, Jim O’ Rourke, Terrie Ex, Paal Nilssen-Love e Massimo Pupillo. Dezenas de audições depois sei que não teve nem nunca terá o mesmo impacto. O primeiro tema é explosivo, são cerca de 8 minutos deliciosos, mas o resto do álbum não o chega a acompanhar. No entanto, o que perde nessa tal “explosividade” ganha na diversidade. De qualquer maneira, está longe do primeiro embora o rótulo OBRIGATÓRIO se mantenha.
Fall of Efrafa - Elil [Sound Devastation 2007]
Bem, estava à espera que o senhor Crestfall escrevesse sobre este álbum (até porque ele já ouviu o primeiro), mas o gajo não está com muito apetite. Fico à espera que tal aconteça, mas até lá adianto que este é um grande grande álbum e fica aqui registado o meu obrigado ao Pedro pela sugestão.
Grails - Doomsdayer's Holiday [Temporary Residence 2008]
Espreitem o que a Joana Coimbra diz aqui. Concordo com tudo.
Sunn O))) - Domkirke [Southern Lord 2008]
Há mil e uma maneiras de se começar a falar de um álbum de Sunn O))) e nenhuma delas parece ser a mais correcta. Há quem goze com o número de discos ao vivo de bandas como os O))) e eu não entendo porquê. Um concerto de Sunn é uma peça de arte, é algo sempre único e diferente. Neste caso, foram convidados para tocar numa catedral em Bergen, Noruega. A ideia subjacente a este convite era fazer com que a banda se inspirasse nos hinos góticos gregorianos da Idade Média. Hinos que de certa forma estavam relacionados com a própria catedral nos tempos da Grande Fome e da Peste Negra. Eles reflectiam o desespero, o terror e a escuridão no mundo, e foi o uníssono destes sentimentos com a própria música dos Sunn O))) que fez possível o nascimento deste álbum. ENORME!!!
These Arms Are Snakes - Tail Swallower and Dove [Suicide Squeeze 2008]
Dizem os puristas que o que está para trás é que é bom. Afirmam eles que quem vive o pós-hardcore desde o início desta década considera que o melhor já tenha passado. At the Drive-in, Blood Brothers e os próprios Snakes com o Oxeneers fazem parte da melhor época. Mas eu que descobri os Drive-in tarde e até só espreitei os TAAS quando soube que eles iam lançar um EP pela Hydra, e nunca fui muito à bola com o menu do pós-hardcore e derivados, recuso-me a concordar. Este novo álbum é tão bom tão bom tão bom que se tivesse que escolher um álbum para passar o Inverno esta seria a minha escolha. Do primeiro ao décimo tema, tudo é demasiado bom, catchy, sexy. Preparem-se pois dia 5 vai haver muito suor, muito roço… muito amor.

27 Comments:

At 10.10.08, Blogger Crestfall said...

Reverend Bizarre é tão da cena pá! Seu não-doomico. E a capa é linda!! :)

O disco de Moho apesar de não estar mau, também não me convenceu nas primeiras audições, e talvez por isso nunca mais lhe voltei a pegar. Mas há-de voltar a rodar.

Jesu coiso.

Fall of Efrafa é fantástico, tens que ouvir o 1º, é mais directo mais crust mas igualmente fantástico. E a forma como o inicio de um e o fim do outro se relacionam é sublime.

Os Grails andam realmente com um ritmo... continuo a preferir as Black Tar Prophecies, mas este disco é extraordinariamente diversificado.
Fiquei assustado com Sunn O))) e ainda não tive no ambiente certo para o ouvir.

Os TAAS já estão muito para lá do Post-hardcore e sem complexos. Este é o melhor disco deles.

 
At 10.10.08, Blogger Tiago Esteves said...

André,

Tenho um split a mais de Jesu/Eluvium em LP. Se quiseres posso-te vender :D

 
At 10.10.08, Blogger Daniel said...

do q n conheco,deixam-me curioso os conifer.
esse amigo caina consegue realmente um prato muito apetitoso misturando ingredientes de paladar muito diverso.
cozinheiro de fusao!
a musica ou e apelativa ou nao,fronteiras estilisticas nao sao p mim!
isto a proposito do ultimo TAAS!
sendo pos-harcore ou pre-qualquermerda ou pos-pos-chinfrim,e nao me tendo cativado de imediato,o disco e mto bom!
n direi q e o melhor!
na saca pos-istoebom e favor ouvir alem dos nomes mencionados,snapcase,the rise e o ultimo e seminal disco de refused.
bandas a cagar no rotulos!

 
At 10.10.08, Blogger jorge silva said...

já "saquei" caïna (hoje) mas ainda não comecei a ouvir.

sempre achei os reverend bizarre demasiado "doom by the book", já chegeui à conclusão que sou fã de doom mas fujo do chamado true-doom, aliás, a minha entrada no doom foi através de my dying bride, portanto... já electric wizard é outra coisa, o witchcult today é daqueles álbuns que, desde que o arranjei, tem tocado muito regularmente.

só conheci grails agora (já os conhecia de nome mas ainda não tinha ouvido) e estou a gostar deste doomsdayer's holiday.

já andei a ouvir these arms are snakes e... ok, achei porreirito e tal, ouve-se bem, definitivamente vou ouvi-lo de novo, mas ainda não me "puxou" na primeira audição. na mesma altura arranjei made out of babies e esse tem rodado muito mais.
...mas não deixei de achar piada a essa imagem de "muito roço... muito amor"...

 
At 11.10.08, Blogger João said...

reverend bizzarre esta malha do split é pessima, já a de electric wizard é aquela base \../ lembra-me bué a fase let us prey.

moho está enorme, sunn tb.
concordo com original silence... :\ nhé

caina é lindo... mas isso tu já sabias.

grails ainda nao tive tempo, mas pareceu-me difrente pa pior :|

 
At 12.10.08, Blogger Pedro Nunes said...

Boduf Songs é muito porreiro. Tens de ouvir o disco homónimo.

Fiquei curioso com Caina.

Conifer apesar de até terem um split com The Ocean, não conheço.

Também gosto muito mais de Electric Wizard que Reverend Bizarre, mas parece-me uma boa junção para um split.

Gosto do disco de Moho mas as expectativas eram mais altas...

Original Silence ainda não ouvi o primeiro... A corrigir isso em breve.

Sunn \oo/

These Arms, os meus trabalhos preferidos são o "This Is Meant to Hurt You" e o "Oxeneers". Já tenho aqui o novo para rodar....

A playlist deste lado tem sido:

Arcade Fire - Arcade Fire EP (sim gosto muito)
Charles Mingus - Mingus Mingus Mingus (um dos meus discos de jazz preferidos)
Chavez - Better Days (banda do Matt Sweeney mas para já ainda não aqueceu)
Devin Townsend - Synchestra (já não ouvia um disco dele há muito tempo)
Don Caballero - Second (obrigatório. Grande disco)
Mamiffer - Hirror... (ainda em fase de assimilação)
Rorcal - Myrra Mordvynn (rodou uma vez)
The Alps - III (ameaça deixar marcas. krautrock à vista)
The Notwist - Shrink (excelente. um dos melhores discos de shoegazze/rock experimental)
They Might Be Giants - Lincoln (clássico. viciante e intemporal. grandes músicas indie-rock com algum humor à mistura)

 
At 12.10.08, Blogger João said...

por acaso gosto mais do pithecanthropus erectus do que o mingus, mingus , mingus.. :p

 
At 13.10.08, Blogger Déjà Loin said...

Não esperava encontrar referências a boduf songs por aqui :)... muito bom, mas ainda não ouvi este último álbum.

Aproveitando o tópico..já ouviram os álbuns de Menace Ruine? São extraordinários.

 
At 13.10.08, Blogger João said...

estão aqui por ouvir, a alien8 custuma ter boas coisas.

Nunes, top10 de blackmetal chines?? :)

 
At 13.10.08, Blogger Crestfall said...

Não ouvi o split de EL/RB por isso não sei se a música (cover) de RB será interessante, mas os 3 álbuns são mt bons. Foi pena terem acabado.

Tenho que ouvir o álbum de Rorcal, gostei bastante do EP.
Pedro, gostaste do novo de Notwist?

 
At 13.10.08, Blogger ::Andre:: said...

déjà a subestimar os nossos gostos :/

 
At 13.10.08, Blogger ::Andre:: said...

Que tal Mamiffer Pedro?

 
At 13.10.08, Blogger Déjà Loin said...

Nada disso! Julgava-o era mais "underground" dentro do género, que (pensava eu) não é do que mais ouvem :P. A última coisa que faço é subestimar os vossos gostos, a quantidade de álbuns e bandas que conheci por ler o blog é considerável ;).

(Ide ouvir Menace Ruine!)

 
At 14.10.08, Blogger ::Andre:: said...

E concertos? Quando é que começas a vir aos nossos concertos? :)
Vou investigar esses Menace...

 
At 14.10.08, Blogger João said...

olha que é malha pá \../

 
At 15.10.08, Blogger Burocratik said...

Não deixem de ouvir o novo dos 5ive - Hesperus um Kyuss + Russian Circles. Soberbo de início ao fim, se viessem com TAAS e RS nos proximos concertos era o topo :)

E experimentem MESMO ouvir Solaris - Portraits Noires, uma das maiores surpresas pela intensidade e minimalismo que convence na maior parte das faixas.

 
At 15.10.08, Blogger Burocratik said...

Mamiffer é ok, mas ando de tal forma entretido com os 2 albuns de Clogs (lantern e lullaby for sue) que mamiffer tem ficado sempre segunda audições...

 
At 15.10.08, Blogger ::Andre:: said...

burocratik, falei dos 5ive aqui: http://amplificasom.blogspot.com/2008/02/rapidinhas.html
Já Solaris nunca me chamou muito a atenção. Clogs, fala disso.

 
At 15.10.08, Blogger Burocratik said...

Sobre Solaris fica apenas a proposta para ouvirem seguidos a 1º 2ª 3ª e 5ª faixa, é mt Jakob, mas mais pesado e sombrio, o resto do album é mediano.

Clogs é outro nível, muito mais classico que alternativo tem uma diversidade que nem vale a pena explicar, o Album Lantern é mais acessível e homogénio, o Lulluby for Sue é mais heterogénio. http://www.last.fm/music/Clogs Tentem ouvir a 5/4 do lantern com mais elementos electricos (baixo a dominar) e a minha preferida Swarns do Lullaby for Sue. Absolutamente... diferente e intocável, menos descartável que as current trends, digo eu. É a música que os vosso pais podem ouvir e achar que finalmente ganharam gosto musical e ao mesmo tempo puxar o bater do pé. é um cinematic orchestra clássico digamos (se isso faz sentido). Tem poucas partes vocais que lembram shearwater e ainda não tive paciência para ver se é musico convidado (recomendo o album Rook para quem não conhece mas ja deve ser demasiado light e mellow mas está mt bem gravado).

Fica uma referência adicional a um album que poderá ser relevante mas bastante mais cinematográfica, Golgatha - Kydos: Reflections on Heroism. Poderia ser uma banda sonora perfeita para a obra da Leni Riefenstahl. Outra referencia mais leve e muito mais noise/electro que me tem acompanhado é o Album de Lawrence English - Kiri No Oto, mas eu sou perdido por texturas sonoras :)

Bons sons!
Adriano

 
At 16.10.08, Blogger João said...

não gostei de clogs por ai além...

 
At 16.10.08, Blogger ::Andre:: said...

Esse do Lawrence é o novo que editou pela Touch?

 
At 16.10.08, Blogger Burocratik said...

André, sim é.

Pois, eu entendo que clogs não provoque comichões colectivas, mas as comichões individuais são tão mais interessantes ;)

 
At 16.10.08, Blogger ::Andre:: said...

Vou espreitar isso então.

 
At 17.10.08, Blogger João said...

sim, claro. lá por eu não gostar não significa que sejam maus.

 
At 17.10.08, Blogger Pedro Nunes said...

joão, não conheço esse do mingus. vou procurar.

top10 de blackmetal chinês? eh pá, nos últimos tempos não tenho ouvido grande coisa de black metal.

crestfall, ainda não ouvi o novo de notwist, mas adoro aquele disco que fiz referência. que tal está?

andré, mamiffer foi um bocado desilusão.... muito piano e instrumentais a caírem na monotonia.

burocratik, boa sugestão Clogs.

 
At 17.10.08, Blogger João said...

por acaso tambem na tenho ouvido muito blackmetal, leviathan e dead reptile shrine teem rodado bastante.

ando viciado no split wooden shjips/the heads e em belong.

 
At 17.10.08, Blogger ::Andre:: said...

Belong? Novo álbum é?

 

Enviar um comentário

<< Home