24 maio, 2007

Lojas da Baixa do Porto abrem até à meia-noite

Cerca de 50% das lojas da R. Sá da Bandeira, no Porto, já aderiram à iniciativa de abrir até à meia-noite, uma vez por mês (primeira sexta). A ideia da Associação de Bares da Zona Histórica do Porto (ABZHP) para revitalizar a Baixa da cidade e a zona da Ribeira já tem data marcada para avançar no terreno a 1 de Junho. Nessa sexta-feira, dezenas de estabelecimentos comerciais do centro da Invicta estarão de portas abertas até mais tarde. A Jo-Jos Music em Cedofeita foi a primeira loja da rua a aderir à iniciativa.

"Os estabelecimentos aderentes terão descontos para quem fizer compras entre as 21 horas e a meia-noite", sublinhou António Fonseca, presidente da Associação de Bares, lembrando que os clientes das lojas terão direito a cartões de acesso sem consumo mínimo e a uma bebida grátis nos bares e discotecas aderentes.

Neste momento, já está garantida a participação de cerca de 35 estabelecimentos comerciais. E se a maior parte, por agora, se concentra na Rua de Sá da Bandeira, também há espaços de Sta Catarina, da zona dos Clérigos e da Ribeira/Infante.

6 Comments:

At 25.5.07, Blogger Crestfall said...

Parece-me uma boa ideia, todos ficam a ganhar.

 
At 25.5.07, Blogger PoisonGodMachine said...

Se os Exmos. Srs do comércio tradicional (e afins) da baixa portuense fossem mais simpáticos com a clientela, se calhar o negócio não ia assim tão mal!

Por mais que uma vez tive que fazer comprar ali na zona (Sta Catarina, mais precisamente) e tive a sorte de apanhar a promoção "as trombas são oferta"! =S

Depois culpam as grandes superfícies...

Quanto à iniciativa, de pouco adianta tentar revitalizar a Baixa à noite se não houver mais polícia (e mais activa).
Por mim, não fosse a insegurança evidente, não precisava de bares nem de lojas para andar na rua. A própria beleza da cidade basta!

Mas abram as lojas, façam promoções, pintem o caralho! Quando o pessoal começar a ficar sem os telemóveis e as carteiras e até os carros, venha de lá mais uma revitalizaçãozinha......

 
At 25.5.07, Blogger ::Andre:: said...

Que exagero poison, o Porto não é o Rio de Janeiro. Eu acho que ideias destas são benvindas. Aliás, sugiro desde já que se marque uma tour nocturna pelas lojas de discos e se acabe a mesma noite no Radio Bar. Como é? 22H em Cedofeita? :P

 
At 25.5.07, Blogger Crestfall said...

Eu nem sei se é inseguro ou não, nunca senti na pela a insegurança (nem quero!) :-s Sei que é um deserto...

 
At 28.5.07, Blogger Dolving said...

o porto nao e o rio mas ja começa a haver demasiadas semelhanças (ja tive 2 colegas espancados no piolho k tiveram k ir pro hospital, eu ja fui roubado por 15 ou 20 gunas na batalha, ja tive colegas a serem espancados na ribeira) por isso nao me venham dizer k o porto e seguro nao se ve um cabrao dum policia a noite mas pra multar os carros ao pe do piolho aparecem e pra multar os carros no porto rio tb la se mostram mas pra nos defender as costas desses gunas filhos da puta nao se mostram

 
At 28.5.07, Blogger the_Gathering said...

Pois, eu cá acho que é tambem o fogo de boca que ajuda a baixa a manter-se vazia.

Paro todos os fins de semana la para o Piolho-Plano B e arredores e nunca presenciei grandes estrilhos. Agora que os ha de vez em quando ha, mas, se acima de tudo se tiver bom senso, consegue-se evitar bem problemas. Para levar um espancamento de Gunas do Piolho ainda e preciso ter um grande azar...cheira-me que alguem os provocou ou fez zentir provocados, pq as trepas que vejo são sempre intra-corja.

Agora...na Batalha nao me meto, e nem sei como e que ha gente que se manda para o Gestos; ja muitas vezes me dirigi sozinho para la e o sentido aranha so gritava "Poe-te a monte JA". Na Ribeira depende do dia: sem ser ao fim-de-semana é para esquecer, e, andar fora da zona do Cubo, só se for para o lado de Matosinhos; pró Mercedes é entrar pelo lado da ponte e com o passo rapidinho. Mais uma vez digo, no entanto, que nem ha 2/3 anos atras a Ribeira estava sempre à pinha, e, tendo em conta a improbabilidade de os gunas serem paridos às ninhadas de 30, advoco que foi o pessoal que se auto-sugestionou de que havia todo um perigo do crl na zona levando ao abandono.

Agora, concordo quando se ataca o crl da esperinha/raide que os meninos de azul fazem todos os dias aos carros estacionados ao invés de andarem em patrulha; nos primeiros dias depois da renovacao para a merda que esta agora apanhei logo com um cartão "Passe pela Casa da Moina e pague 30€". Bloquearam a entrada do parque" com a carrinha e era ve-los a esfregar as mãos de contente.

 

Enviar um comentário

<< Home