22 fevereiro, 2008

Rapidinhas...

5ive - Hesperus [Tortuga-Hydra Head 2008]
Atenção bandas sem nome: estão-se a esgotar os nomes da mitologia grega, egípcia e afins. Neste caso, Hesperus (Deus da Estrela Matinal), marca o renascimento dos 5ive sete anos após o primeiro álbum. Não é que tivessem morrido (há um EP pelo meio e tal) mas foi essa a mensagem que passaram tanto foi o tempo que estiveram sem “apitar”. Para quem esteja esquecido, relembro que estes 5ive são um duo americano (Jeff Caxide dos Isis chegou a tocar com eles) que pratica uma espécie de “instrumetal”. O regresso é “doomy”, “sludgy”, sujinho e recomenda-se. Não deixa marcas nem cicatrizes mas fãs de Pelican, Knut e todo aquele espectro “post-metal” devia, sem dúvida, ouvir este disco.

Ai Aso & Wata - She's so Heavy Split 7'' [Diwphalanx 2007]
Wata… Quem é que não conhece a deusa dos riffs? Neste split com a também nipónica Ai Aso, a guitarrista dos Boris não dispensa a sua banda e Michio “Ghost” Kurihara para o seu primeiro trabalho a “solo”. Provavelmente, este tema até resultou da colaboração “Rainbow” de ‘06, mas estou demasiado preguiçoso para esclarecer isso. O que eu sei é que tanto Wata como quem a acompanha, fazem uma justa e merecida homenagem a Masashi Kitamura, um grande visionário do underground japonês que faleceu há cerca de dois anos.
De Ai Aso sei muito pouco mas depois desta cover elegante de “Islands” dos King Crimson, fiquei com muita vontade de continuar a conhecer o seu trabalho. Resumindo, não gastava um dinheirão neste split mas ficava muito bem na colecção.

Boris - Smile [Southern Lord 2008]
E por falar em Wata… Aí estão os Boris de regresso depois de “Vein” de 2006. Mas, regresso? Não se pode falar em regresso quando entre estes dois álbuns houve duas colaborações com Merzbow, o “Altar” com os SunnO))) e o já mencionado “Rainbow”. Este trio japonês é inclusive conhecido por dar entrevistas sobre determinado álbum quando já têm outros a sair do forno, mas concentremo-nos no “Smile”. Novamente com uma ajudinha de Michio e de Stephen O’Malley, os Boris mostram (se é que alguém ainda tinha dúvidas) que estão aqui pelo prazer da música e vão continuar a experimentar e a fazer o que lhes apetece. Logo ao primeiro tema (extenso mas com um groove do caraças) se descobre que arranjaram uma drum machine e decidiram brincar com ela. A partir daí, Wata, Atsuo e Takeshi oferecem-nos aquele que é provavelmente o álbum mais experimental, psicadélico e disfuncional (elogio) da sua extensa discografia. A produção esquizofrénica contribui. Pá, são uma banda do caralho por isso sorriam, estes são os Boris.
Ps: Esta “review” é sobre a edição japonesa. A edição americana, a que provavelmente vai morar em casa de todos nós, tem um artwork diferente (SOMA) e a seguinte tracklist:
01 Flower Sun Rain (PYG Cover with Michio Kurihara)
02 BUZZ-IN
03 Laser Beam
04 Statement
05 My Neighbor Satan (c/ Michio Kurihara)
06 KA RE HA TE TA SA KI – No Ones Grieve
07 Untitled (c/ SOMA)
08 You Were Holding an Umbrella
Brethren Of The Free Spirit - All Things are from Him, through Him and in Him [Audiomer 2008]
Inspirado na mística francesa Marguerite Porete que foi condenada como herege e queimada em 1310, James Blackshaw e Jozef Van Wissem apresentam-nos aqui a sua primeira colaboração. Quatro belos temas conduzidos pela guitarra de doze cordas de Blackshaw e acompanhadas lindamente pelo alaúde de Wissem. Excelente álbum, um marco na carreira dos dois músicos.
Earth & Sir Richard Bishop - Split 12'' [Southern Lord 2008]
Consigo imaginar o Dylan num qualquer bar refundido do Porto a encantar-nos com a sua guitarra. Quem sabe um dia… Neste split, uma daquelas edições limitadas produzidas apenas para celebrar uma tour, o tema dos Earth é um tema a solo do próprio Mestre Dylan Carlson. Paisagem perfeita desenhada a guitarra de um dos visionários dos nossos tempos. Quem está habituado aos sons de músicos como Fear Falls Burning e Aidan Baker não vai estranhar, e no fim dos 12 minutos só dá vontade de carregar no play outra vez. Mestre, atirar aí um álbum a solo, ok? Sir Richard Bishop, outro músico de outra dimensão, parece não esgotar a imaginação e continua a “sacar” riffs deliciosos. Também não esconde a sua admiração pela cultura indiana e explora o seu Sitar (da família do banjo) e Tambura (família do alaúde), este já mais conhecido pelo mundo fora. Rick contou aqui com a ajuda de Randall Dunn, técnico de som nos concertos de SunnO))). Parece que este doze polegadas já esgotou por isso um bem-haja a quem se continua a dar ao trabalho de ripar vinil. Música maravilhosa…
KTL - 3 [Or 2007]
Será este o último trabalho deste projecto de Stephen O’Malley (Sunno))), Khanate, etc) e Peter “Pita” Rehberg? Espero que não.... Formaram-se sobretudo para a peça “Kindertontenlieder” da francesa Gisèle Vienne e acabaram por se tornar num dos melhores projectos “abstractos” que já ouvi. Este “3” é talvez o menos ambicioso, até porque só tem dois temas, mas também o mais acessível, se é que se pode usar esse adjectivo na música dos KTL. Não é para toda a gente, verdade, mas a partir do momento que nos deixamos entrar neste mundo ficamos possuídos, viciados e excitados. Este LP conta com um “etching” de Edwin Pouncey num dos lados, é um autêntico item de coleccionador. A ver se os vejo ao vivo um dia destes…
Ps: Ando à procura, em mp3, do Live in Krems e o IKKI. Se alguém tiver links...
Shit and Shine - Cunts with Roses [Noisestar Music 2007]
Grupo baseado em Londres, os Shit and Shine são conhecidos pelas suas prestações filhas-da-puta e psicadélicas. Este “Cunts with Roses” documenta isso mesmo. 28 minutos de noise, berros e um incrível e viciante riff de bateria. Desafio qualquer de um de vocês que está a ler estas linhas a dizer que isto não presta. Deixem-se foder, a música também é isto.
Stephen O'Malley & Attila Csihar - 6°FSKYQUAKE [eMego 2008]
Há quem diga que este álbum não é nada mais que o O’Malley a brincar com um “toy phone” enquanto o Attila faz que canta dentro de uma baleia. Este tipo de comentários têm sido constantes neste tipo de trabalhos. Tornam-se incompreendidos e objectos de insulto apenas por serem diferentes e se vamos falar do “quebrar barreiras” então nem saímos daqui. Este 6°FSKYQUAKE é uma composição criada em 2001 mas só no ano passado viu a luz do dia numa exposição de Banks Violette, um escultor nova-iorquino. Na quinta colaboração Banks-SOMA, a ideia era revisitar temas como a perda e a ausência interagindo o som e as obras, tentando que este, o som, se transformasse em algo físico. “Sound pressure in substantial space, relative dimension between concrete and perceptual mass, gravity induced by heightened sonic action and standing sub-bass pressure.” Sendo assim, quem não pôde assistir ao resultado final nunca poderá dar uma opinião final mas ainda bem que estas instalações são editadas. Peço desculpa por gostar. Fotos da exposição aqui e aqui.
Ps: Procuro o “SALT”.

24 Comments:

At 22.2.08, Blogger naSum said...

És Grande andre !!! lolol. aquele Shit and Shine... upa upa

 
At 22.2.08, Blogger João said...

shit and shine é fdd :D
so nao peguei em 5ive ainda
o resto ta tudo fixe
e sim o ktl 3 deve ser o ultimo, pelo menos era o previsto.
e o soma com o attila e de facto o pior trabalho que ja ouvi do soma mesmo assim ainda muito acima da media diria, vale pelo attila principalmente.
e o randull dunn nao e tecnico de som de sunn, isso é o tos nome impronunciavel, o randall dunn é engenheiro de som mas em estudio :)
depois renviote o rider tecnico para sunn e para khanate k tenho aki.
o split de earth com tribes ta na neurot a venda, dá-me :D

 
At 22.2.08, Blogger Crestfall said...

eu tenho ideia dos 5ive terem dado por finda a carreira, acho que não era só imaginação minha derivado ao logo hiatus... provavelmente era mesmo... O disco tá porreiro, curto largo a 1ª música. Boris é aquela coisa que se estranha e entrenha :-) O 1º tema é mesmo cool, e o 6º? Aquela guitarrada noisistica... Eu quero é a versão Japonesa, Essa tracklist nada tem a ver com a japonesa :-s O 3 dos KTL é mesmo o mais acessível! Shite and Shine não dá, muito noise pra mim. O'Malley + Attila só ouvi 1 vez e não me soube a nada, tenho que lhe dar atenção. E quero ouvir esse slipt Earth & Sir Richard Bishop.

 
At 23.2.08, Blogger Fox said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

 
At 23.2.08, Blogger Pedro said...

Irei ouvir 5ive. Acho o The Telestic Disfracture apenas razoável.

Wata, estou curioso.

Boris, é para já o disco do ano.

Brethren Of The Free Spirit, quero!

Earth & Sir Richard Bishop, já está aqui para ouvir...

KTL, idem

Shit and Shine, idem

Stephen O'Malley & Attila Csihar, interessante...

 
At 23.2.08, Blogger João said...

wata ta nice, pena a ai aso ser tao mediana.
:|

boris disco do ano e um exagero nao?

 
At 25.2.08, Blogger ::Andre:: said...

Jonas, não sabia quem era o Randall Dunn mas no myspace do gajo diz isto: "When I am not in the studio I am called upon to do live sound for the monolith Sunno)))."
É verdade que já vimos o SOMA fazer melhor, mas acho difícil opinar sobre um álbum que é no fundo uma instalação para uma exposição. Sem vermos o resultado final não é a mesma coisa.
Envia-me esses riders!!!
Não arranjas esse split em mp3?
É verdade que já vimos

Crest, a 6a é a minha favorita do momento.
Houve este álbum dos Shit, sério. Tem uma pujança viciante, não é aquele noise rádio-por-sintonizar.

Pedro, se precisares de algum álbum diz.

 
At 25.2.08, Blogger Cesar said...

Stephen O'Malley & Attila Csihar - 6°FSKYQUAKE

Conseguiste sacar isto de algum lado, André? :)

 
At 25.2.08, Blogger João said...

noise radio por sintonizar? as in?

sacou de mim.... LOL

nao n consigo arranjar o split é pena.

epa se vamos por ai tambem nao podes ouvir os discos de ktl...etc...
sim talvez agora seja o randull mas antigamente era o tos que tambem tocava minimoog ou moog taurus.
o randall tem o aleph onde grava muita desta malta.

 
At 25.2.08, Blogger ::Andre:: said...

Hey César!
O passarinho azul ainda é um local priveligiado para melómanos, mas se quiseres faço o upload.

Jonas, não quero ofender ninguém :P
KTL sempre foi um projecto paralelo, sabes bem disso. Nasceu com um objectivo mas transformou-se em algo c/ personalidade própria.

 
At 25.2.08, Blogger Cesar said...

eu procuro no soulseek ;) podia ser que tivesses link à mão :)

 
At 25.2.08, Blogger ::Andre:: said...

tenho nos meus files, o nick é o mesmo.

 
At 25.2.08, Blogger João said...

nao ofendeste, so kria saber k tipo de bandas/som associavas a expressão.

mas ktl tb foi feito com o proposito da peça..that's all

 
At 26.2.08, Blogger Pedro said...

Não percebo porque é que há-de ser exagero considerar o Smile de Boris o melhor disco do ano até ao momento...

 
At 26.2.08, Blogger ::Andre:: said...

Foi o que eu disse, KTL nasceu com um propósito/ objectivo mas transformou-se em algo com personalidade própria.

O Smile é um dos meus preferidos até agora, por acaso é.

 
At 26.2.08, Blogger João said...

porque eu o acho e tenho ouvido coisas superiores, ainda nao aderi ao smile :|

é claro que isto é tudo subjectivo...

 
At 26.2.08, Blogger ::Andre:: said...

Claro que é, mas também é saudável discutir e conversar sobre.

 
At 26.2.08, Blogger João said...

fo shizzle

 
At 27.2.08, Blogger Crestfall said...

Já tenho uma listinha jeitosa de discos do ano... :-D

O Smile é um grower! O pedro até começou por não lhe achar muita piada.

 
At 27.2.08, Blogger ::Andre:: said...

Concordo, é mesmo um grower...

 
At 27.2.08, Blogger Pedro said...

Verdade, as primeiras vezes que ouvi o disco de Boris não achei grande coisa...

 
At 27.2.08, Blogger João said...

eu ainda nao acho grande coisa... para boris :|

 
At 28.2.08, Blogger Gunther said...

Live in Krems:

http://rapidshare.com/files/95747436/live_in_krems.zip.html

If you find IKKI let me know!

 
At 29.2.08, Blogger ::Andre:: said...

Wow!!! Thank you so much gunther!!!

Agreed :)

 

Enviar um comentário

<< Home