17 outubro, 2010

Lições de Política – Como fazer aprovar uma lei

Às vezes ficamos perfeitamente incrédulos com o descaramento de determinadas leis. Ficamos irritados, prometemos virar a mesa e que “esta é a última”. Revolução, queremos revolução. Levar esta escumalha a tribunal. Enforcá-los todos. Depois a senhora do McDonalds pergunta “quem é a seguir?” e esquecemos a cólera sangrenta que por momentos tomou conta de nós. Bacon ou Double Cheese? Mas afinal como é que o governo consegue fazer aprovar as leis mais absurdas? Vou explicar com um exemplo prático e real de uma técnica usada recentemente.

Um representante do governo aproveitou um dia mais aceso na assembleia da república e propôs a seguinte lei: a autorização de lutas de cães, apenas aos domingos, que poderiam de ser até à morte. O procedimento seria iniciado com o atirar de um bebé para o ringue para espicaçar os dois cães esfomeados estavam posicionados aos cantos. Para obedecer a normas comunitárias rígidas, o bebé teria que marinar uma semana numa instituição religiosa de caridade social e seria previamente “desactivado” por um forcado amador com formação superior na área de contabilidade e acreditado pela norma ISO9000 que regula a desactivação de bebés para efeitos de luta de cães.

A contestação foi geral. O CDS-PP disse que só aprovaria se o uso de bebés servisse para controlo do número de imigrantes com tonalidade de pele mais escura que algarvio, o Bloco de Esquerda ficou indignado com a violação dos direitos dos animais, o PCP concordaria se os bebés fossem de todas as classes sociais e não apenas das famílias pobres e o PSD reagiu dizendo que “a infâmia dos alcoviteiros será urdida sequencialmente pelos polibolarizantes do costume, como outrora o fora pelo advento dos falcões do volfrâmio”. A opinião pública indigna-se, os telejornais fazem pressão on demand e os políticos cedem.

Uma semana depois o mesmo representante aparece em horário nobre nas estações generalistas e diz que o governo ouviu o povo e cedeu. Diz que o governo é sensível e social e como tal a lei foi alterada. Não haverá lutas de cães com bebés mortos previamente por um forcado amador, haverá apenas um ligeira descida de ordenados, um suave aumento de 2% no IVA e a sodomização não consensual de todos os contribuintes que, não sendo milionários, vão sendo ainda os únicos a respeitar o sistema de finanças nacional. O regozijo foi geral, o povo havia ganho mais uma batalha.



2 Comments:

At 18.10.10, Blogger gasosa said...

excelente meu amigo

 
At 19.10.10, Blogger João Ruivo said...

Isto merecia um prémio!

 

Enviar um comentário

<< Home