15 outubro, 2010

Top 10 Cinema Low-Budget e Ultra Low-Budget (parte2)

Previously on Amplificasom: parte 2 do Top 10 Cinema Low-Budget e Ultra Low-Budget. E sem mais delongas, fiquemos com a parte 1.

05 – PI (1998) – Darren Aronofsky

Darren Aronofsky cria uma inquietante viagem à mente de um cientista que acredita ter descoberto uma formula que lhe permite decifrar padrões da realidade e antever o futuro, a ténue diferença entre o génio e o louco (e um berbequim). Preto e branco fortemente granulado. Mais uma vez com o orçamento a ir direitinho na sua quase totalidade para filme e revelação. A alimentação da equipa foi fornecida pela Sra. Aronofsky, mamã galinha do realizador.

04 – Last of the Living (2008) – Logan McMillan

21 anos depois de Bad Taste de Peter Jackson, eis que nos chega mais uma pérola do cinema de terror neozelandês ultra-low budget. Com um orçamento de 5 dígitos apenas, Last of the Living compensa em sentido de humor e frescura o que lhe falta em meios. E voilá, estamos perante uma nova estirpe de filme de zombies, o filme “quase sem zombies”. Reparem nos posters lá atrás...

03 – The Evil Dead (1981) – Sam Raimi

Um fim de semana na floresta acaba em horrenda carnificina sob a batuta de Sam Raimi. Bruce Campbell é apresentado ao mundo na pele do mais improvável herói da história do celulóide: Ash! Um engenhoso trabalho de câmara e um uso cuidado da estética fez deste filme um clássico intemporal que muitas vezes revejo em ataques de nostalgia. E quem diz Evil Dead 1 diz Evil Dead 2 que é um misto de remake com sequela mantendo-se bastante contido no orçamento.

02 – Bad Taste (1987) – Peter Jackson

A primeira webpage que fiz foi para um projecto de curso. Do tempo em que fazer uma webpage era como construir um motor de propulsão capaz de escapar à gravidade da Terra. Entre outras coisas, essa webpage prestava homenagem a três filmes de Peter Jackson que ainda hoje venero quase religiosamente: Bad Taste, Meet the Feebles e Braindead. A indústria viu mérito neste genial artesão do celulóide, um mago a gerir orçamentos, e passou-lhe para as mãos a responsabilidade do maior projecto alguma vez feito até à altura, Lord Of The Rings. (que é uma granda seca, diga-se de passagem…)

01 – Clerks. (1994) – Kevin Smith

Clerks não é apenas o meu filme low budget preferido, é também um dos meus filmes preferidos. Kevin Smith inicia assim a sua carreira com aquele que é o seu melhor filme. Clerks fala-nos de dois jovens enfiados em McEmpregos que divagam todo o santo dia de uma parafernália de assuntos filosóficos, desde a cultura pop (Star Wars com fartura), vida e morte até ao sexo oral , definição de infidelidade conjugal e a importância de masturbação de animais em cativeiro para inseminação artificial. Filmado quase inteiramente num quiosque de um amigo, Clerks é um filme fortemente baseado em diálogos. Pela primeira vez temos o orgulho de conhecer Jay and Silent Bob, esses mestres da pop culture stoner. O argumento deste filme é também leitura obrigatória para qualquer cinéfilo que se preze. Como diria o masturbador de animais " It's important to have a job that makes a difference, boys. That's why I manually masturbate caged animals for artificial insemination. "


3 Comments:

At 16.10.10, Blogger Tiago Esteves said...

Adoro, adoro, adoro o Clerks. e msm a sequela tb me agradou bastante

 
At 16.10.10, Blogger Neuroticon said...

O Clerks é muito bom mesmo! Venero também!
E a sequela, não sendo genial é muito bom :D

 
At 18.10.10, Blogger Susana Quartin said...

Nunca tinha visto o clerks. Até hoje.

É...fantástico D:.

 

Enviar um comentário

<< Home