16 fevereiro, 2011

No cinema não há limites

Revi o Ghost Dog (1999) recentemente mas quando o vi pela primeira vez o último Jarmusch – o único e maravilhoso The Limits of Control (2009) - ainda não tinha rodado.

SE NÃO OS VIRAM E TENCIONAM ENTÃO NÃO CONTINUEM A LER

Isto soa um bocado a fanboy, mas deixou-me a pensar na pseudo intencionalidade num eventual elo entre ambos os filmes. É verdade que ambas as personagens têm traços de personalidade bastante semelhantes, a começar na sua solidão até ao facto de poderem ser psicopatas aos olhos do niilismo, mas comecei a pensar nisto a sério quando a personagem encarnada por Forest Whitaker (Ghost Dog) engole uma mensagem em papel tal como a de Isaach De Bankolé (Lone Man em TLOC) fazia constantemente nas diferentes que recebia. Entretanto, Raymond que em Ghost Dog é também interpretada por Bankolé, mostra a sua preocupação por estar ilegalmente no país e fala em francês enquanto que Lone Man, no “Limites…”, termina o filme vestido com um casaco dos Camarões, país africano e onde o francês é a língua oficial. Já mais tarde, numa das cenas finais, Ghost Dog entrega o seu fato (imagem) e o seu kit de assassino a Raymond. Terá sido uma passagem de testemunho? Enfim, com esta espécie de nova obsessão encontraria mais pontos em comum se os visse novamente. É que não me parecem coincidências, o vendedor de gelados e único amigo de Ghost Dog podia, até para vingar a sua morte, ter-se transformado no Lone Man. Não?

1 Comments:

At 16.2.11, Blogger priscilla fontoura said...

quero ver o Loong Boonmee raleuk chat - eu também imagino pessoas com olhos vermelhos.

 

Enviar um comentário

<< Home