09 fevereiro, 2009

Wolves in the Throne Boat \m/

Incêndio no Porto-Rio duas semanas antes que deu para assustar, problemas na guitarra do Nathan logo ao segundo ou terceiro tema, cabeça do baixo que morreu completamente quando íamos a meio do concerto... parecia uma noite amaldiçoada. Mas não, nada impediu que os Wolves dessem um concerto fantástico (um dos meus preferidos no Porto-Rio), sem esquecer a muito elogiada primeira parte dos Löbo. Obrigado a todos vocês que apareceram e apoiaram.
Aqui ficam algumas fotos dos nossos amigos Jorge Silva (cores) e Pedro Roque (p&b):









21 Comments:

At 9.2.09, Blogger gangrena said...

deve ter sido tão óptimo. às vezes os concertos amaldiçoados são os melhores porque já não esperamos grande coisa. either way, acredito que eles tenham rebentado, independentemente de tudo :O

 
At 9.2.09, Blogger Tiago Esteves said...

Nunca pensei ver uma banda destas em Portugal. Memorável, cortante, melancólico, tudo aquilo que esperava. Enormes...

 
At 9.2.09, Blogger Filipe said...

Será que voltam?Tou triste de ter perdido isto :(

 
At 9.2.09, Blogger Crestfall said...

Colossal pás, colossal! A cena do fusível até arrefeceu um bocadinho o ambiente, mas felizmente, mal os decibéis voltaram a pulverizar o éter, a mística reinstalou-se no barco. Gente boa em palco e gente boa na plateia. Obrigado a todos.
Mandem fotos e vídeos!

Eles têm que voltar, ai têm têm, com sorte até pode ser que os tenhas em lisboa, filipe :p

 
At 9.2.09, Blogger Crestfall said...

A queen of the borrowed light deixa-me nostálgico.

 
At 9.2.09, Blogger Tiago said...

grandes!
é verdade que os problemas cortaram um pouco o ambiente, mas a verdade é que finalizou da melhor forma, tão intenso! grande banda.

 
At 9.2.09, Blogger ::Andre:: said...

\m/

 
At 9.2.09, Blogger Scapegoatt said...

Não posso concordar com o termo "noite amaldiçoada", pois estamos a falar de uma banda com B.Metal qb. Pos isso temos de inverter o sentido. Digamos que foi uma "noite abençoada", hihihi!=)
Falando a sério, gostei mt das actuações. Lobo, praticam um slugde do bom, mesmo, mesmo bom. Parabens. Quanto aos "Wolves", foi realmente pena as quebras na actuação, pq a meu ver cortaram um bocado o clima. Mas de resto, foi bombastico. Que puta de baterista sinhore!! O homem bate forte! :P
Para mim, o momento da noite, foi mesmo a ultima malha. Deduzo que seja do novo album. Conto vê-los novamente em Abril.
A Amplificasom não tem nada que agradecer. Eu pessoalmente agradeço por estes momentos quem sem vocês, não seia possivel. Ride on Guys!

 
At 9.2.09, Blogger ::Andre:: said...

Ah, quanto ao passatempo, haviam várias respostas possíveis: WITTR, Pelican, Icos...

 
At 9.2.09, Blogger Sludge said...

Desde já gostaria de dar os parabens ao pessoal da Amplificasom por trazerem cá bandas deste calibre,o que é preciso neste pais sao gente como voces.

Quanto aos concertos,Lobo nao conhecia nem nunca tinho ouvido mas gostei bastante,foi bom para começar a noite.

Em relação a Wolves, foi perfeito,se já os adorava agora ainda mais, uma autentica viagem espiritual, hove momentos de puro arrepio, as atmosferas que conseguem criar é algo de estrondoso!

Grande noite musical que se passou no Barco!

 
At 9.2.09, Blogger apf said...

Concertos memoráveis! Foram os dois tão bons que até corta a palavra. Fizemos entrevista ao Aaron dos Wolves e aos Löbo. Vamos tratar de editá-las já está semana. www.acordesdequinta.blogspot.com

 
At 10.2.09, Blogger medievalista said...

Na minha humilde opinião o concerto foi decadente. O público completamente apático (já nem há cabeludos, que diga-se de passagem, com os seus cabelos a girar, dão outro colorido aos concertos), parecia que estava tudo com medo. A atitude da banda completamente arrogante. Depois da seca que deram no início com o soundcheck, depois o fusível do baixo queimou, o minimo que podiam ter feito era um encore quando o pessoal pediu, mas não, nada, lá foram eles todos contentes. Que falta de respeito!

 
At 10.2.09, Blogger André Forte said...

foi fantástico. eu que sou um menino feito vi-me do black metal \oo/

a atitude da banda, na minha opinião, se fosse afável ainda cortava o feeling misantropo que conseguiram fazer pairar ali. Foi muita bom!

 
At 10.2.09, Blogger Crestfall said...

Relativamente à apatia do público, cada um é livre de apreciar e interiorizar a música como bem lhe apetecer, não é por não haver cabelo comprido que um gajo deixa de poder fazer headbanging, e o interesse de um concerto não reside primordialmente no público e na forma como este exterioriza as reacções face à música, mas sim no palco, o ambiente esteve lá todo. Se calhar é pelo facto de a música afectar as pessoas a um nível mais espiritual que as reacções não são tão efusivas. Podes não ter gostado do concerto por este ou aquele motivo, agora não acuses a banda de arrogância, são pessoas impecáveis e se tivesses falado com eles terias certamente compreendido isso. Tb eu gostaria que tivessem tocado mais, mas deram-nos o que tinham planeado. Afinal gostaste da música ou não?

 
At 10.2.09, Blogger Joca said...

Confesso que já não via um concerto de metal a sério, desde que a ano e meio atrás vi os Isis em Barcelona.
E apesar de achar os Isis, uma especíe de versão arafeirada dos Neurosis, ficou-me na altura, que o metal estava um pouco sintetizado ali. Era negro, frio, não comunicava com o exterior, era autista.
O ambiente de sábado fez-me voltar todos esses sentimentos ligados à musica do demo, mas desta vez elevado a 10.
De facto bandas como Dimmu Borgir ou Immortal são autênticos meninos à beira destes gajos de Olympia ( terreno fértil para bandas de míudas e casa da mui respeitável Kill Rock Stars).
Entrei na sala de baixo do Porto Rio à segunda música, o tempo estava gelado, pouquissimas luzes cá em baixo, filas de headbanging á lavagem de carros, o som mais tenebroso e realmente diabólico que ouvi naquele espaço, debitado por notas; e orgânico sem recurso a efeitos aphex twinianos.

Obrigado à Amplificasom por ter trazido estes gajos. Já me tinha esquecido que o metal podia ser perigoso e excitante.

 
At 10.2.09, Blogger ::Andre:: said...

Vi mais de metade do concerto no pequeno espaço do técnico de som (aquele altinho ajuda) e notei que as pessoas estavam a curtir, ora abanando a cabeça, ora de olhos fechados e até dando uso à cabeleira como o medievalista se refere. Já não vou a um concerto que pede mosh desde os Converge e mesmo aí preferi curtir à minha maneira. A apatia do público (e não concordo em relação a sábado) não é mau sinal e digo mais: num concerto destes (ou os mencionados Isis) percebes quando o público está "in" quando nas partes silenciosas não ouves ninguém a falar. Sábado aconteceu.

 
At 10.2.09, Blogger Melancolia said...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
At 10.2.09, Blogger Melancolia said...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
At 10.2.09, Blogger Melancolia said...

ATé houve gente que apreciou o concerto sentada! Há cada duas! ;)

 
At 11.2.09, Blogger Crestfall said...

Olha, e não é que foi mesmo 1 duas que apreciou o concerto sentada! :)

 
At 14.2.09, Blogger aBisMo said...

Este concerto queria-se intimista, misantropo, obscuro, amaldiçoado e foi tudo isto. Foi negro e intenso, onde a verdadeira essência do black metal, por vezes associada à sua componente mais comercial, foi encontrada.

 

Enviar um comentário

<< Home