24 janeiro, 2010

Nas nuvens...


Ryan Bingham, personagem principal do filme Up in the Air, passa a vida no ar e nunca o vemos a ler ou a utilizar o seu Blackberry para ouvir mp3. Para mim, por mais estranho que pareça, é o único defeito do novo filme de Jason Reitman. Como é que uma personagem tão interessante nunca lê ou ouve música nos seus voos diários, nos hoteis, nos carros que aluga...
Digam-me qual foi o livro, álbum ou até filme que mais vos marcou em pleno voo.

12 Comments:

At 24.1.10, Blogger amebix said...

Livro foi um do Jck London sobre o mundo em 2020 ou qualquer ano perto disso.
Filme foi o no country for old man que vi numa viagem pela tap.
Quanto a este filme que falas,vi ontem e é daqueles engraçados mas que não me apaixonou.

 
At 24.1.10, Blogger naSum said...

Que tal o filme Andre? Eu andei poucas vezes de avião. Acho que nunca li dessas vezes. Lembro-me de jogar o sudoku com a mel. Conta? lol. Musica ouvi mas nunca que me marcasse assim...

 
At 24.1.10, Blogger Susana Quartin said...

Também o fui ver ontem. Achei engraçadote. Curiosamente, pensei precisamente no mesmo: ele nunca ouve música ou lê nos vôos?

Quanto a livro/álbum, das últimas vezes que andei de avião ia a dormir profundamente (ye, se tiver muito sono sou daquelas que já está a dormir antes de levantar vôo e não acorda na aterragem), vou ter de pensar no assunto.

 
At 24.1.10, Blogger david celtas said...

x2. também estou sempre a dormir lá no alto, principalmente nos vôos da ryanair das 6 às 8 da manhã que me obrigam a fazer directas.

 
At 24.1.10, Blogger Tiago Esteves said...

Tantos álbuns. O de Asva foi o mais marcante...acho que ia para a Tailândia ou Cambodja e fiquei parvo com o álbum.

Qt ao filme...n gostei mto...achei que poderia ter sido muito melhor explorada a questão social da profissão do gajo e n entrar na onda da questão amorosa...

 
At 25.1.10, Blogger tak said...

absolute beginners

 
At 25.1.10, Blogger ::Andre:: said...

Eu gostei muito do filme nas, ao contrário desta malta que só o achou engraçadote. Tinha aviões e aeroportos logo só por isso me conquistava, mas o argumento é muito bom (acabou de ganhar Globo por isso) e as personagens muito bem conseguidas. Falhou na música, foi pena. É o terceiro filme do Reitman e é cada vez mais um realizador a seguir.

 
At 25.1.10, Blogger ::Andre:: said...

A primeira vez que ouvi música no ar foi com o velhinho minidisc, os Vex Red foram a escolha. Não me lembro de nenhum momento marcante, mas para mim estar em cima das nuvens a ouvir música é um dos melhores lugares possíveis. Infelizmente, na altura de aterrar - onde a paisagem começa a ser ainda mais influente - mandam-nos desligar...

 
At 25.1.10, Blogger Luis said...

Para mim faz-me confusão como alguém pode apreciar música devidamente num avião. (Principalmente nos aviões pequenos) o ruído de cabine é tão alto que ou 1) nos obriga a subir o volume até níveis perigosos ou 2) a não ouvir nada decentemente.

Filme marcante em pleno voo? É difícil já que todos os filmes que passam são uma porcaria ;)

 
At 25.1.10, Blogger Crestfall said...

O único livro que me lembro de ter lido na integra em voo foi o noites brancas do Dostoiévski, peguei nele precisamente por ser pequeno :\

 
At 25.1.10, Blogger ::Andre:: said...

Ainda há umas semanas ouvi o último Kevin Drumm, álbum que pede um ambiente menos pesado, e foi perfeito.

Crest, era pequeno e precisaste de atravessar um oceano :P

 
At 27.1.10, Blogger Ron said...

O filme foi o "Vicky Cristina Barcelona" porque me distraiu de uma complicação de tripas.

O livro foi o da colecção 33 1/3 sobre o "Paul's Boutique" de Beastie Boys, lido na espera para e durante uma viagem longa.

O disco não sei bem, mas gosto de tentar contextos diferentes para discos favoritos e lá no alto quase todos funcionaram muito bem.

 

Enviar um comentário

<< Home