16 abril, 2010

O baterista, o talhante e uma noite sensacional

Há uma semana atrás fui a Serralves rever o John Butcher (tinha estado a solo há uns anos atrás no Serralves em Festa) acompanhado dos portugueses Red Trio. Foi a porta perfeita para o fim-de-semana, uma noite bem porreira apesar daquele prato servido em quase todos os concertos de jazz vamos-tocar-todos-agora-o-piano-todos-outra-vez-agora-é-a-vez-da-bateria me aborrecer um bocado, prefiro a espontaneidade. O Butcher não é dos meus músicos preferidos do free-jazz, mas esta colaboração correu bem demais para não a repetirem. De qualquer maneira, passando pelo Porto estou lá. Vou também continuar atento aos Red Trio e quero apenas destacar o “miúdo” Gabriel Ferrandini (baterista) pois, tirando um ou outro tique (sobretudo com o bombo), ele já é um dos melhores e poderá vir a ser o nosso maior nome do free-jazz na cena internacional. Depende dele. Ontem houve Sensational (e não só) e nem as quatro horas de cama me tiraram a pica para estas linhas. Foi uma surpresa e tanto, toda a noite superou as minhas expectativas. No andar de cima, vindo de Elvas, Motown Junkie entretia o pessoal com grandes grandes sons. É vir mais vezes ao norte s.f.f. A sala debaixo abriu perto da meia-noite e o único erro de casting da noite foi um tal de DJ Spot ter “tocado” antes das bandas e projectos principais. Não lhe tiro o mérito, o som tava fixe, mas devia ter actuado em último. Fujako, um dos trinta e sete excelentes projectos de Jonathan Saldanha, começou morno e tímido e acabou em grande grande forma com uns últimos vinte minutos de alta qualidade. Imaginem que o JKB se dedicava exclusivamente a um dub meets hip-hop, é o Jonathan como Fujako. O Spectre apesar de alguns momentos chatinhos entreteu a malta durante uns largos minutos e por volta das duas e tal o capa-da-Wire-Sensational sobe ao palco com um à vontade enorme, com um ego tão enorme como esse à vontade e ao mesmo tempo sendo, sem hipocrisias, o gajo mais fixe de sempre. E o concerto? O concerto foi genial. A palete sonora do Spectre aqui sim foi perfeita e o Sensational… o Sensational. Tal como ele faz questão de nos lembrar constantemente, ele é sensacional. Props à Lovers e à Soopa pela noite, pelo cartaz, por terem arriscado em algo diferente. Venham mais!!

4 Comments:

At 16.4.10, Blogger Sérgio Hydalgo said...

Hoje há Sensational e Spectre em Lisboa (ZDB). 23h, 8 euros. Não falhar

Abraço,
Sérgio

 
At 16.4.10, Blogger Pedro Nunes said...

Ando a ouvir o disco de Fujako...

pedro nunes

 
At 16.4.10, Blogger Dromos said...

André, recomendo que oiças o John Butcher com o Paal Nilssen-Love , disco "concentric" do ano passado, é uma grande malha , um registo mais firico menos habitual no trabalho dele, principalmente dos ultimos anos.

 
At 19.4.10, Blogger ::Andre:: said...

O Love tem discos com toda a gente, não tem? :)

 

Enviar um comentário

<< Home