21 fevereiro, 2011

Ronda Cinéfila

True Grit




Ontem fui ver este filme na grande tela. E ver isto sem ser neste formato perde, e muito. Os irmãos Coen apontam neste filme ao grande plano, ao plano americano, ao clássico John Ford, ao sujo Sergio Leone. Fazem-no com a mestria que se lhes conhece, num western que em nada fica a dever aos grandes clássicos do género. Estamos perante uma adaptação da obra com o mesmo nome de Charles Portis (que de resto já tinha ido parar ao cinema em 1969 com John Wayne no papel principal) e conta a história de uma miuda tenaz que quer encontrar o assassino do seu pai. Um épico de justiça, é isso que temos aqui, onde não deixa de entrar aquele jogo quântico, que Ethan e Joel tanto gostam, da fortuitidade.
Destaco igualmente uma direção de atores genial. O cast foi perfeito. Mais do que justa a nomeação de Hailee Steinfeld e Jeff Bridges, que com o seu fabuloso papel como Reuben "Rooster" Cogburn, o marshall displiscente e amigo do whisky, cuja noção de justiça só se pode equiparar a um Harry Callahan, tem aqui para mim o seu melhor papel desde o grande Dude. A interpretação é soberba, e cedo nos esquecemos que vemos ali um ator para dar lugar a um personagem memorável do cinema, caso raro no cinema de hoje. Altamente recomendado, e não fosse eu ter também adorado o Black Swan, diria que este era sem dúvida o mais justo merecedor do Óscar para este ano.


Never let me go


Um futuro que não é o nosso. Sem doenças, graças a um grupo de miudos que, em várias escolas pelo Reino Unido, são manipulados geneticamente e crescem com o intuito de ser dadores de orgãos. Um pouco como os Replicants no Blade Runner, eles são vistos como não tendo alma, desprovidos de sentimentos que sustentam o ser humano "normal". Mas claro, não é isso que vemos no filme, e é essa questão moral que ele levanta, tão reproduzida pelo mundo do cinema: até onde poderemos ir pela construção de uma sociedade perfeita?


Fair Game

Lembram-se daquela história em 2003, mesmo no rebentar da guerra do Iraque, em que uma notícia revela a identidade de uma agente secreta da CIA, de seu nome Valerie Plame? Noticia que tentava denegrir a imagem do seu marido, o embaixador Joe Wilson, por este ter dito que parte do famoso discurso do Estado da União de Bush era falso, nomeadamente a noticia de que Níger teria enviado 500 toneladas de material usado para fissão nuclear para o Iraque. Bem, após alguns anos na berlinda, este filme estreou nos EUA em Novembro último, e conta, entre outros, com as participações de Naomi Watts como Valerie e Sean Penn como seu marido, o embaixador Joe Wilson.
Este filme, adaptado dos livros escritos quer por Plame quer por Wilson, vem colocar mais fundo o dedo na ferida sobre o embuste que foi a invasão do Iraque e o que uma administração tão conservadora como a de Bush filho faz para perseguir interesses privados. Veja-se: a divulgação da noticia saiu, ilegalmente, de um assessor de Dick Cheney, que em 2006 foi julgado no supremo tribunal a uma pena de 2 anos e meio por difamação e revelação de indentidade secreta, e que viu logo de imediato a sua pena ser comutada em 2 anos para apenas 6 meses de prisão. Por quem? George W. Bush.

17 Comments:

At 22.2.11, Blogger ::Andre:: said...

Estava completamente esquecido do Fair Game, parece-me um bom serão caseiro. O True Grit... aprecio imenso os Coen e o Bridges, mas as vezes que já vi o trailer no cinema fazem-me ficar longe.

 
At 22.2.11, Blogger Neuroticon said...

Vê que é bom, André :)

Eu estava um bocado reticente mas gostei bastante :)

 
At 22.2.11, Blogger Pereira said...

'Tava à espera de muito mais do "True Grit" ,falta-lhe... cojones e uma banda sonora-que-não-abafe-as-cenas. É um western muito razoável, mas que,para mim não, consegue competir com filmes recentes do mesmo género. Mesmo assim, dos nomeados ao Óscar, deve ter sido dos que mais gostei, junto com o "Inception" e "The Social Network".

 
At 23.2.11, Blogger Tiago Esteves said...

adorei o never let me go. a tematica e excelente e o facto da compreensao e desenrolar da historia ser deixada ao criterio do espectdor e mto bem conseguido. para mim e dos melhores que vi nos ultimos tempos. o true grit e bom e a miuda tem um papel e dialogos brutais. para mim o grande grnde grande filme dos candidtos ao oscar e o 127 hours, mas n vai ganhar de certeza. e pena.

 
At 23.2.11, Blogger Tiago Esteves said...

adorei o never let me go. a tematica e excelente e o facto da compreensao e desenrolar da historia ser deixada ao criterio do espectdor e mto bem conseguido. para mim e dos melhores que vi nos ultimos tempos. o true grit e bom e a miuda tem um papel e dialogos brutais. para mim o grande grnde grande filme dos candidtos ao oscar e o 127 hours, mas n vai ganhar de certeza. e pena.

 
At 23.2.11, Blogger ::Andre:: said...

Ninguém fala do Cisne Negro?

 
At 23.2.11, Blogger pris said...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
At 23.2.11, Blogger priscilla fontoura said...

e André do winter's bone ninguém fala? entre winter's bone e black swan sem dúvida que a minha escolha vai para o primeiro. o grit vou ver.

 
At 23.2.11, Blogger Pereira said...

Posso falar, André! Para mim, é um filme banal, muito denunciado em partes, muito ridículo noutras.Tem boas interpretações, tem personagens pouco aproveitadas... Tinha potencial para ser um bom filme,mas...Não sei se foi o hype que o estragou...quando fui à estreia vê-lo já estava na expectativa desde que espreitei o trailer, no verão passado...


Vi hoje o "Another Year", o novo do Mike Leigh, que "só" foi nomeado para Melhor Argumento, mas bate qualquer um dos nomeados ao Óscar para Melhor Filme. Facilmente.

 
At 23.2.11, Blogger Nuno Teixeira said...

O Inception e o Black Swan são, a meu ver, os dois melhores filmes de 2010.

 
At 23.2.11, Blogger Tiago Esteves said...

Black Swan foi um bocadinho agridoce. Grande papel da Natalie e curti do ambiente negro do filme. Curioso que o Aranosky ganha reconhecimento com aqueles que, a meu ver, são os piores filmes dele, o black swan e o wrestler :\

winters bone será um dos próximos a ver.

 
At 23.2.11, Blogger Neuroticon said...

Faltam-me ver o Winter's Bone e o The Fighter... Qual aconselham?

Até agora nenhum dos filmes me prendeu mesmo, no entanto acho que o Black Swan está acima dos outros.
Acho o 127 péssimo. Aquilo poderia facilmente ser um filme da Tvi.
True Grit é bom, mas não é grande, claro.
Inception é muito fogo de vista e muito pouco sumo.
The King's Speech é um filme de época como os que a BBC faz todos os anos, este saltou á vista apenas pelo papel do Colin Firth, que está bem, mas a meu ver merecia o Oscar o ano passado, pelo A Single Man.
Alguém duvida que o Social Network está lá por causa do fortissimo lobby do facebook?
Mas a meu ver, será mesmo este o maior vencedor da noite...

 
At 23.2.11, Blogger Scometa said...

Epá, acho que já vi o The Wrestler umas 7 vezes, foi para mim o melhor filme do Aronosfy e um dos melhores de 2009.

 
At 23.2.11, Blogger Pereira said...

Winter's Bone vou ver esta noite, The Fighter já vi. Tem um punhado de boas interpretações,mas não é nada d'outro mundo...

 
At 23.2.11, Blogger Tiago Esteves said...

Não sou fascinado pelo Wrestler. Para mim Pi, Requiem, Fountain são bastante superiores :D

Concorco com o Neuroticon qt ao King Speech. Mais um filme de época, sendo que acho o argumento banalissimo. E nem acho a interpretação do Colin nd de fascinante :\

 
At 24.2.11, Blogger Scometa said...

Neuroticon, porque é que é claro que o True Grit não é grande? Grandes interpretações, grande argumento, grande realização... Para mim é grande em tudo, claro :D

 
At 24.2.11, Blogger Neuroticon said...

Acho-o muito competente :D
Mas não acho que tenha o carisma de um "grande"!

As interpretações são sem dúvida deliciosas ;)

 

Enviar um comentário

<< Home