09 agosto, 2011

Perdidos no brilho

Barn Owl - Lost in the Glare [Thrill Jockey 2011]

É o duo mais entusiasmante do momento. Continuam a ser um tesouro por descobrir, mas já não são novidade nestas linhas: lembro-vos que se falou deles aqui e aqui e inclusive fizeram-nos uma pequena visita de almoço. A cada edição, que acaba sempre por encher (elogio) os meus ouvidos, fico com a certeza que a sua visão instrumental está cada vez mais interessante, desafiante, confiante e essencial. Para eles e para nós.

A estreia na Thrill Jockey foi surpreendente, os temas do Ancestral Star ainda me arrepiam, mas é com este atrevimento e coragem de Lost in the Glare que se fazem discos brilhantes, que se ganham bandas para sempre. Acaba assim a colagem a instituições como Earth ou Sunn O))), os Barn Owl passaram também eles a ser uma.

Sabem quando põe um disco a tocar e não o largam? É por aqui que tenho andado, perdido nesta viagem. Drone. Sempre drone. Mas com Farfisa. A melhor trip do ano.


Ps: Artwork para o LP morar lá em casa…

6 Comments:

At 9.8.11, Blogger Tiago said...

Já saiu, André? Tava na ideia que era só para Outubro, sendo assim tenho que escutar.

Que grande artwork, sem dúvida!

 
At 9.8.11, Blogger bia. said...

Barn Owl - e Eternal Tapestry, também - eram óptimos nomes para um inverno com amplificasom. :)

 
At 9.8.11, Blogger Tiago said...

Eu não me esqueço da tua promessa, André. :P

 
At 10.8.11, Blogger Susana Quartin said...

Pronto, já chega de adiar ouvir esta gente como deve ser. Começo com este álbum? Vou-me arrepender tanto de não ter ido à zdb...

 
At 11.8.11, Blogger Nuno Teixeira ☪ said...

"Barn Owl - e Eternal Tapestry, também - eram óptimos nomes para um inverno com amplificasom. :)"

Era tão isso!!

Bela publicação, André.
Ainda não me perdoei por não ter visto Barn Owl em Lisboa há uns meses atrás :S

 
At 11.8.11, Blogger Ricardo Proença said...

Há muito tempo que não sabia o que era comprar um CD de música e foi Barn Owl que me levou a fazê-lo.

O som que estes senhores produzem - é étereo, catártico, xamânico, transcendental - é como olhar para dentro de nós e descobrir um imenso multiverso de emoções.

Obrigado à Amplificasom por me ter apresentado os Barn Owl.

Já agora onde é possível ouvir uma preview do álbum?

 

Enviar um comentário

<< Home