03 dezembro, 2009

Quem lê a Wire?

Desde que soube que na edição de Março veio uma entrevista aos Menace Ruine que fiquei intrigada/curiosa com esta revista que, agora vejo por ignorância, julgava ser mais restrita nos géneros que abrange. Entretanto o André chamou a atenção para o facto de os Sunn O))) figurarem na capa do mês seguinte e desde então que regularmente penso em comprá-la, mas acabei sempre por não o fazer. Até agora.
Na semana passada passei pela fnac do chiado(tem uma nova secção de revistas e jornais) e vi a edição de Dezembro à venda. Estive a folhear e pareceu-me muito boa, o tipo de revista que eu trago comigo para o computador e começo a descobrir não sei quantas bandas. Até tropecei em reviews tão inesperadas como a do The Invisible Mountain de Horseback! Interessou-me tanto que acabei por não comprar, acho que prefiro arranjar assinatura (existe uma opção em que posso escolher mais duas edições antigas).
Alguém tem assinatura? Acabei por me esquecer de verificar o preço em euros e queria confirmar se compensa...
E já agora, quem lê, opiniões sobre a revista. A qualidade é regular?

13 Comments:

At 3.12.09, Blogger António Matos Silva said...

podes, sem qualquer tipo de receio, assinar, comprar, coleccionar, o que quiseres, a wire. é uma revista absolutamente fantástica, que finalmente se começa a ver mais regularmente nos quiosques. comecei a comprar em junho e estou à espera que chegue janeiro para assinar 2010 inteiro ;)

 
At 3.12.09, Blogger Neuroticon said...

Sendo grande fã de KC já li toda a reportagem sobre os álbuns da banda e pouco mais... Mas geralmente leio sempre umas coisas no shopping aqui ao lado...

 
At 3.12.09, Blogger Pedro Nunes said...

Reconheço realmente como sendo uma revista que se destaca (assim como a rolla), apesar de já ter sido cliente mais frequente...

pedro nunes

 
At 3.12.09, Blogger Maléfico Patético said...

sou assinante

é uma revista muito boa e de qualidade constante

 
At 3.12.09, Blogger ::Andre:: said...

Eu compro de vez em quando, é uma excelente revista. O facto de ser abrangente é óptimo para se descobrir novas cenas, mas às vezes faz com que numa edição não tenha um único artigo que me chame a atenção e se a isto juntarmos a falta de tempo habitual então é daí que vem a minha falta de regularidade na compra da revista. Mas não te deixes levar por essas pequenas reviews se não tás numa de partir para outros mundos, ainda por cima quando os escribas da Wire são um bocado preguiçosos no que toca a escrever sobre metal.

 
At 3.12.09, Blogger Maléfico Patético said...

a assinatura compensa, fica cerca de 5 euros por revista

 
At 3.12.09, Blogger José said...

Eu assino a Wire há já 16 anos. Mas comecei a comprá-la uns 2 ou 3 anos antes numa loja de discos chamada Audeo (não sei se alguém se lembra... uma montra e um balcão).
Em termos de preço compensa. E o conteudo é sempre de um nível acima da média. Os "primers", os "invisible jukebox", são imperdíveis (desde artistas que conhecem tudo a artistas que nem reconhecem os seus próprios temas, aparece de tudo).
Em termos de orientação musical já deu várias voltas. Já foi mais jazzista, dubstepista, jungleista, noisista, electroniquista... mas no fundo acaba sempre por ser uma publicação relativamente independente.
Outra das vantagens que vais ter com a assinatura tem a ver com os CDs que regularmente são distribuídos com a revista.

 
At 3.12.09, Blogger Zatoichi said...

Horseback é de facto muito bom!

 
At 3.12.09, Blogger Luis said...

Compro a Wire há vários anos mas só durante este decidi tornar-me assinante. Tenho que dizer que compensa - fica mais barato, oferecem dois números extra, a revista chega sempre mais cedo no correio do que chega às lojas, e ainda há os cds para assinantes (a maioria é uma porcaria, mas há alguns interessantes) e estamos a financiar directamente a revista sem intermediários.

Quanto à qualidade - na minha sincera opinião tem vindo a decair bastante, especialmente nos últimos 2 ou 3 anos. No entanto, continua sem haver uma alternativa que se aproxime sequer. Já não é tão obrigatória como foi mas não deixa de ser uma boa revista e referência.

 
At 4.12.09, Blogger Susana Quartin said...

Vou então esperar que tenha familiares amorosos que preferem dar-me dinheiro no natal para assinar em janeiro :).

 
At 4.12.09, Blogger ::Andre:: said...

A financiar directamente sem intermediários?! Que exagero Luís! É a mesma coisa que dizer que foste intermediário enquanto promotor quando no fundo tavas era a prestar um serviço (intelectual). É a Wire caramba, bem precisa que as papelarias/ lojas de discos a tenham exposta nas suas montras.

 
At 5.12.09, Blogger Luis said...

Não sei bem o que percebeste do meu comentário, André. Não estou a dizer que não é importante que a Wire esteja nas lojas (é importante para a visibilidade da revista, para cativar novos leitores e para aqueles que não a assinam). No entanto acredita que a revista prefere receber o dinheiro de um assinante directamente do que o que recebe dos distribuidores ou lojas e que será sempre menos.

É como nas editoras de música (pelo menos pequenas) - todas preferem receber um pagamento directo por um disco do que ter que receber muito menos de intermediários. Por duas razões principais: o pagamento é imediato e não têm de esperar não sei quantos meses até terem qualquer retorno dos intermediários; e segundo será sempre um montante superior.

E em relação às revistas há ainda um problema maior: os intermediários de distribuição, que em geral são os que ficam com a maior fatia do lucro real e nada querem saber do que distribuem.

 
At 5.12.09, Blogger ruicarvalho said...

É UMA FALTA GRAVE DESCONHECER OU NÃO COMPRAR A WIRE - GRAVISSÍMO PARA QUEM GOSTA DE "BOA" MUSICA...........
MAS MAIS VALE TARDE QUE NUNCA

 

Enviar um comentário

<< Home