28 janeiro, 2011

Rodney Owen Maccarthy


Estava eu a percorrer a edição digital da revista "Dazed and Confused" quando páro num artigo intitulado "Apathy is dead". O artigo começa com a transcrição de uma parte do discurso proferido por este rapaz de 15 anos na Coalition of Resistance National Conference, em Camden, Londres, no passado dia 27 Novembro. O discurso foi proferido depois de confrontos entre estudantes e a polícia, em protesto contra o aumento das propinas universitárias, dos quais Rodney fez parte. Passo a transcrição para aqui:
"You know this was meant to be the first post-ideological generation, right? This was meant to be the generation that never thought of anything bigger than our Facebook profiles and our TV screens. This was meant to be the generation where the only things that Saturday night meant was X Factor. I think now that claim is quite ridiculous. I think now that claim is quite preposterous. I think now we’ve shown that we are as ideological as ever before. Now we have shown that solidarity and comradeship and all those things that used to be associated with students are as relevant now as they have ever been."

Ora, todo o artigo despertou-me a atenção, e quando tento encontrar o video, nada. Nem uma única referência. Quer no Youtube, quer no Google videos. Pelos vistos o vídeo tornou-se viral. Ao mesmo tempo deve ter-se tornado incómodo para alguém. Restam-nos os excertos nos artigos de imprensa e a ideia de que o futuro está, de facto, nas mãos dos jovens.

Cheira a algo novo lá fora. Cá dentro ainda vai aquele cheirinho a mofo que tantos gostam. Ficam mais alguns excertos de alguém que, aos 15 anos, já deixou o sofá de casa e o facebook para ir até à rua fazer-se ouvir. Haja esperança.

"They can't stop us demonstrating, they can't stop us fighting back, and how ever much they try to imprison us in the streets of London, those are our streets. We will always be there to demonstate, we will always be there to fight."

"We are no longer that generation that doesn't care, we are no longer that generation to sit back and take whatever they give us. We are now the generation at the heart of the fight back."

Our baby-boomer generation all benefited from the misery and sacrifices of our parents & grand-parents. Now the elite want to snatch away what we had from our children & grand-children in order to perpetuate war & oppression & to maintain an unsustainable life-style at least until we’re all gone. We should be ashamed at what we’ve allowed them to do & take hope in that the young are waking up and taking to the streets on behalf of all of us.

Transcrição completa aqui

PS: a minha falta de competência em pesquisa não me permitiu encontrar o vídeo. Um muchas gracias à Vera Viana por o ter feito por mim. Cá vai

11 Comments:

At 28.1.11, Blogger vera viana said...

Por acaso não te referes a este vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=CrgzpPvJxmQ
this kid has balls of steel!

 
At 28.1.11, Blogger priscilla fontoura said...

"Cheira a algo novo lá fora. Cá dentro ainda vai aquele cheirinho a mofo que tantos gostam." o mofo que muita gente fala mas quando vemos, por exemplo, manifestações no Porto por causa do trabalho precário a pessoa mais nova que lá se encontrava tinha 40 anos...

 
At 28.1.11, Blogger Scometa said...

vera, continuo sem conseguir ver mas deve ser problema com a rede. Por acaso fartei-me de procurar ontem e nada. Se vires no link que deixei no fim do topico está lá esse mesmo problema.

Pris, às vezes é preciso começar a cheirar o mofo que vem de nós mesmos. Somos os maiores culpados por esta apatia.

 
At 28.1.11, Blogger priscilla fontoura said...

da minha parte não há qualquer apatia e creio que não exista entre muitos jovens porque preferimos a "praxis" :) as manifestações ou os protestos não têm que ser vistos só de uma forma.

 
At 28.1.11, Blogger vera viana said...

não percebo, Scometa, deve ser da tua ligação. ainda agora vi e está tudo OK.

e nem toda a gente é apática, depende muito das circunstâncias e das culturas... a nossa, infelizmente, sempre foi de brandos costumes, mas há e sempre haverá excepções à regra.
e nem tudo "o que se faz lá fora" é assim tão bonito como dizem. há pessoas apáticas e embrutecidas por todo o lado...

 
At 28.1.11, Blogger Scometa said...

Absolutamente Vera. Quando digo "cheira a algo novo lá fora" é porque por todo o lado vês o jovens a tomar as rédeas. Ainda não chegou a Portugal da mesma forma, não sei se há-de chegar, mas tudo depende dos desenvolvimentos que tivermos da crise e a forma como esta nos afectar. Somos sempre mais lentos a reagir, mas não quer dizer que nunca o façamos.

Já consigo ver o video, mas o video que procurava supostamente já teria cerca de 300.000 views e esse foi retirado. Vou aproveitar para o colocar no tópico. Thanks!

Pris, os protestos podem ser vistos de muitas formas, mas só alguns trazem consequências, sejam elas boas ou más.

Seria importante que se conseguisse envolver mais os nossos jovens em debates, para que ganhassem melhor consciência daquilo que podem fazer, de como podem protestar. Os debates têm que sair dos meios académicos.

 
At 28.1.11, Blogger priscilla fontoura said...

vejam o que se passa neste momento no Egipto!

 
At 28.1.11, Blogger priscilla fontoura said...

quais debates em meios académicos? nunca tive algum! e quando os tentei criar por duas vezes quem se mais queixava foi quem mais rapidamente fugiu com o rabo à seringa.

 
At 28.1.11, Blogger Scometa said...

Quando eu andava em Coimbra ainda participei em alguns debates e numa manifestação de estudantes. Lembro-me de um discurso do nosso amigo John Pallister nos jardins da associação académica cheio de fervor. Mas isso talvez se tenha perdido.

 
At 28.1.11, Blogger priscilla fontoura said...

o John tem encanto :)

 
At 28.1.11, Blogger vera viana said...

Scometta, descobri isto sobre o Pallister: http://www.gbu.pt/conteudos/SystemPages/page.asp?art_id=170

esta geração tem o poder nas mãos: acesso ilimitado a (praticamente) toda a informação, a uma escala global, formas de comunicação ímpares que lhes permitem marcar qualquer evento em segundos, por sms, e-mail, facebook e em qualquer parte do mundo...
É só deixá-l@s crescer, para agir proactivamente (e esperar que "cheguem" cá)...

 

Enviar um comentário

<< Home